"Espicaçar as consciências adormecidas"

.posts recentes

. Lei do Ruído 2017

. Pretender

. FC Porto mais português!

. Os homens são todos iguai...

. Ninguém faz nada!

. A moda do brunch

. Lopetegui a treinador do ...

. Treinadores Portugueses

. Super-Mães

. Deve haver uma explicação

. E depois do Adeus

. Ginastica Mental

. Hino à prostituta

. Banco Alimentar

. Teoricamente barato

. Pessoas com Categoria

. UML: para pessoas que gos...

. 10 contra 11, não!

. Taxista Sportinguista

. Escolher um Bacalhau

. Só os Belos empacotam

. As leis não escritas

. EUA tinham que passar

. Programador burro

. Programador vs Eng. Softw...

. O Porto da minha Infãncia

. Fazer amigos

. Fui eu que inventei

. Pessoas bem-educadas

. Antigamente

. Jorge Jesus e P. da Costa

. AH! Apanhar uma Camioneta...

. Ser Benfiquista

. Ninguém sabia o que fazer

. Almas Gémeas

. Aprendendo a ser Jovem

. Homens Misteriosos

. Depois de Babel

. Melhor que Telenovela

. 25 de Abril para os Joven...

. No meu tempo

. FC Porto vergonhoso

. O Canal Q e a cidade

. Pessimismo e conspiração

. A fugir do próprio Ego

. Rabos e rabinhos

. BCP é bom camarada

. Palpites

. O Drama dos Penalties

. Tratamento de Psicologia

.arquivos

. Março 2017

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

Sábado, 17 de Outubro de 2009

Cinema Culto

            Nos tempos da universidade houve um ano em que eu e um amigo meu do apartamento iamos 1 vez por semana ao cinema, numa de cultura. Deve ter sido o ano mais morto da minha vida acadámica. Esse mesmo amigo que mais tarde meteu na cabeça que tinha de gosta de música clássica porque a clássica é que era. Lá arranjou um série de cassetes com músca clássica da pesada (aquela que não são os hits da clássica e são mesmo dificeis de tragar). E acho que lá foi conseguindo o seu objectivo. Parece que à décima audição de gramar uma cassete referiu que aquela cena já estava a entrar, já conseguia gostar um pouco.

            Quando era adolescente os meus irmãos cultivavam as idas ao cinema. Era muito giro. O cinema nos anos 70/80, antes de aparecem os videos e os video-clubes, eram muito giros. Era um evento social. Cinemas repletos, os intervalos. Para um miúdo era altamente, sair com os irmãos mais velhos, à noite, para ir ao cinema.

            Depois houve uma fase morta, em que eu fiz-me sócio de um video-clube e dava-me para alugar filmes clássicos ou bem referenciados.

            Havia os encontros da prache com o sexo desejado, que passavam por ir ver um filme ao cinema.

            O cinema é um interesse que nos une a todos.

 

            Aos poucos o cinema foi perdendo o interesse para mim.

            Olhar à minha volta e ver que as pessoas que cultivam o cinema não me atraem, ajudou a perder o interesse por essa arte. Essa gente que gosta muito de cultura e que confunde cultura com cinema. Ir ao cinema é cena de pessoa culta. Conheci um anormal que chegado o fim de semana ía ver 2 filmes por dia. Era um gajo muito culto. Devia saber muito pormenores inúteis sobre a Sétima Arte. Conheci uma androide que disfarçava melhor. Não só ía ao cinema, como gostava muito de exposições, e esforçava-se por gostar de música menos convencional como Music of the World. Leonard Cohen para ela já era uma coisa mais para o piroso. Sabia cada pormenor que valha-me deus. Que a coreografia do Missão Impossivel 3 tinha sido feita pelo mesmo gajo que fez não sei o quê. Análises sobre os filmes? Pensamentos sobre a arte que ela consumia? Nada. Leva-me a crêr que ela limitava-se a consumir e pronto. Faz-me lembrar aquela história muito engraçada daquele gajo entusiasmado que tinha a ultima versão de tudo quanto era Software:

- Ei pá, já tenho a versão tal do Dreamwave, Photoshop, magicDreamer (....)....

- Boa. Como são, sabes trabalhar com isso?

- Não. Mas tenhos-as.

 

            Depois há a mania do cinema francês que é para os/as mais requintados. Filme americano não, filme francês é do melhor.

            Já agora refiro que convivi muito com alemães e constatei que eles são uns cinéfilos do camandro. Tomara, com a vida que levam... (ou não levam).

 

            Já há vários anos que a ideia de permaneces fechado numa sala escura, durante 1 hora e meia, concentrado num écran, é uma coisa que me deixa bastante desmotivado. Das ultimas vezes que fui ao cinema lembro-me de ir ver com uma conhecida o “Era Uma vez no México”. Passamos o filme a rir-mo-nos e a segredar piadas ao ouvido um do outro. Brilhante aquela famosa frase:

- Are you a MexiCan or a Mexican’t ?

 

            Depois, é verdaed, com a idade tornamo-nos mais esquisitos. Ainda tentamos ver filmes em casa. Cerca de metade dos filmes, vejo os primeiros 5, 10 minutos, e já me apetece desistir. Parece que já não temos tempo a perder com coisas menores. Aliás eu estou nessa, deve ser a pressão do tempo, estou pensando seriamente em encetar uma politica de Best Of’s. Se dizem que a vida é curta, então já metade da minha passou a avaliar pela esperança de vida. Acredito que a paciência é uma coisa que também se gasta ao longo da vida. Aliando a falta de paciência à falta de tempo, acho mesmo que o melhor é não perder mais tempo com coisas com as quais não criamos uma boa empatia.

            Aliás, se tivesse tempo pegava em todos os meus CDs e retirava de lá só as músicas que realmente me embalam. Já não há tempo para ouvir músicas da treta que pouco fazem para nos fazerem sentir melhor.

            (Pronto, derivei um bocado).

 

            Já que considero 1 hora e meia muito tempo para estar em frente a um écran, comecei a dedicar-me mais às séries. E houve um BOOM de séries de grande qualidade:

 

  1. Sete Palmos de Terra
  2. Family Guy
  3. Os Sopranos
  4. The Office
  5. Extras
  6. Coupling

 

            Há outras que não me lembro. Sim, 4 destas 6 séries são cómicas. Deus seja louvado, vai-se fazendo sempre excelente humor nesta terra.

 

            Actualmente o que está a render é a série Shameless (em exibição da SIC Radical).

 

tags: , ,
publicado por antiego às 22:39
| Comentar (ou não) | Adicionar aos Posts Favoritos
|
1 comentário:
De tou anónima, não me chamo helena a 18 de Outubro de 2009 às 10:43
Começo cada vez mais a perceber porque ganhaste esta fã. Ou porque venho aqui espreitar diáriamente o que escreves.
Alguns posts dizem-me mais do que outros, claro. Mas alguns são certeiros na opinião que tenho sobre o mesmo assunto.

Este é sobre o cinema, mas o ponto onde identifico mesmo a minha opinião é na referencia ao insistir-se ou "naquilo que nos une a todos" (modas) ou naquilo que nos possa distinguir de todos, nem que para isso se tenha de passar um martirio até a coisa entranhar, como o teu amigo com a musica clássica.

Leio pela blogosfera até algumas coisas pertinentes em que a postura de diferença faria todo o sentido se fosse bem argumentada ou sequer argumentada.

Se a cultura passa por dominarmos até ao limite um assunto qualquer sem interesse e que não nos tras nada de novo, ou por só lermos livros, vermos filmes ou ouvirmos musicas que mais ninguém conhece e que nos faz sentir importantissimos porque pertencemos a um grupo restrito e limitado que tem gostos acima dos outros, então sou uma inculta do caraças.

Aquela frase lugar comum que diz que até do Snoopy podemos tirar conhecimento, eu subscrevo-a.
Gosto do que gosto porque gosto. Porque me tras conhecimento, porque me faz pensar, porque me faz sentir ou só porque me diverte. E raramente sei pormenores técnicos disto ou daquilo, só se me tornar verdadeira fã e veja tudo o que vier dai.

A primeira série do Shameless foi-me oferecida há uns bons anos num por uma Inglesa. Depois adquiri as outras. Lá era moda, cá nem se sabia o que era. Mas gostei e pronto.

Comentar post

Contador Web
Contadores
online

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds