"Espicaçar as consciências adormecidas"

.posts recentes

. Pretender

. FC Porto mais português!

. Os homens são todos iguai...

. Ninguém faz nada!

. A moda do brunch

. Lopetegui a treinador do ...

. Treinadores Portugueses

. Super-Mães

. Deve haver uma explicação

. E depois do Adeus

. Ginastica Mental

. Hino à prostituta

. Banco Alimentar

. Teoricamente barato

. Pessoas com Categoria

. UML: para pessoas que gos...

. 10 contra 11, não!

. Taxista Sportinguista

. Escolher um Bacalhau

. Só os Belos empacotam

. As leis não escritas

. EUA tinham que passar

. Programador burro

. Programador vs Eng. Softw...

. O Porto da minha Infãncia

. Fazer amigos

. Fui eu que inventei

. Pessoas bem-educadas

. Antigamente

. Jorge Jesus e P. da Costa

. AH! Apanhar uma Camioneta...

. Ser Benfiquista

. Ninguém sabia o que fazer

. Almas Gémeas

. Aprendendo a ser Jovem

. Homens Misteriosos

. Depois de Babel

. Melhor que Telenovela

. 25 de Abril para os Joven...

. No meu tempo

. FC Porto vergonhoso

. O Canal Q e a cidade

. Pessimismo e conspiração

. A fugir do próprio Ego

. Rabos e rabinhos

. BCP é bom camarada

. Palpites

. O Drama dos Penalties

. Tratamento de Psicologia

. Crise e Poupança

.arquivos

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

Sábado, 31 de Outubro de 2009

A Invenção do Casamento

            Queria deixar aqui claro que não foi a religião católica que inventou o casamento.

 

            Como já disse aqui em Casamento e Adulterio, o casamento existia em todas as civilizações mais importantes.

            Bem antes de aparecerem os cristãos, o casamento já existia. Existiu entre povos em diferentes pontos do globo. O que leva a crêr que o casamento é uma invenção muito antiga (de um povo primordial que depois se espalhou pelos 4 cantos do mundo) ou é uma coisa tão natural no homem, que diferentes culturas, ao longo dos tempos, insituiram-na nos seus costumes sociais.

 

            Eureka!

            Acabei agora de pesquisar na net e o resultado está em baixo transcrito.

            O Casamento é pré-histórico (150,000 AC). A igreja surgiu ontem, a 4,000 AC.

            A acreditar nesta página da internet, a coisa torna-se ainda mais irónica e corrosiva.  Embora sem datas mais precisas que pré-história, o casamento surge antes da religião! Não foi antes da religião cristã, foi antes de qualquer religião. Fará sentido? Se calhar o homem precisa mais de afecto que de fé.

            Foi o Homo Sapiens? Quem sabe senão foi o próprio Austrolopitecuzinhos, de uma maneira muito rudimentar, sem cerimónia?

            É evidente que quando falo em casamento, não é o casamento com cerimónia. É o puro casamento de duas pessoas que escolhem viver juntas o resto da vida ou por um longo periodo. Quem sabe se há 3 milhões de anos atrás, os Austrolopitecus já não se escolhiam entre eles, de uma maneira mais monogamica, formando casais de uma maneira informal?

 


No site Quem inventou:

 

Invenção

Quando e onde

Quem

Por que?

Casamento

Pré-História
Em toda parte

Homo sapiens

O homem começa a comportar-se como um ser social após a era do Plioceno (terciária). Aparecem as primeiras normas e os tabus.

Religião

Pré-História
Em toda parte

Homo sapiens

Separando-se da natureza, o ser humano co­meça a pensar o transcendental.

Enterro

50.000 AC

Homem de Neanderthal

Os homens eram enterrados na própria caverna em que viviam, com comida e seus utensílios.

Igrejas

4.000 AC
Suméria

Sacerdotes

Surgem de sociedades secretas que detinham o monopólio de certos ritos, como o da fecundidade.

Cidades

3.500 AC
Suméria

Sumérios

As inundações obrigavam os sumérios a se agruparem e aproveitarem as águas para irrigar suas plantações.

Fábricas

3.000 AC
Ur e Sippar

Sumérios

Essas cidades produziam objetos para consumo local e mesmo para exportar. Eram verdadeiras fábricas reais.

Escolas

2.500 AC
Suméria

Sacerdotes

Criadas para a formação dos escribas. Ensinava-se administração e economia para o governo das cidades.

Bibliotecas

2.500 AC

Sacerdotes

Geralmente ligadas aos templos, desenvolvem-se nas escolas de ensino superior.

Divisão do tempo em 24 horas

2.000 AC
Suméria

Sumérios

Os habitantes da cidade, devido a sua interação social mais constante necessitavam de divisão rigorosa do tempo.

Divórcio

1.800 AC
Babilônia

Hamurábi

Com Hamurábi aparecem as primeiras leis sobre o divórcio. Mas, seguramente, a prática já era conhecida.

Hospital

600 AC
Epidauro

Sacerdotes

Um dos primeiros templos gregos dedicados à saúde é o de Epidauro. Numa sala especial, os sacerdotes cuidavam dos doentes.

Democracia

510 AC
Atenas

Clístenes

Clístenes retomou o poder em Atenas e fez modificações políticas administrativas ali.

Greve

490 AC
Roma

Plebeus

Os romanos fizeram greve contra os cobradores de impostos, pelo direito de se casarem entre patrícios e pelo voto entre outras coisas.

Escolas públicas

75 DC
Roma

Vespasiano

Ele foi o primeiro a pagar os professores com a verba do tesouro imperial.

Universidade (moderna)

1.000

Paris

Abelardo

A Universidade de Paris nasceu graças a Abelardo que reunia os estudantes que haviam concluído seus cursos, para ensinarem aos colegas menos adiantados.

Lei do direito comum

1176

Inglaterra

Henrique II

Henrique II reorganizou o sistema judiciário. Clarendon e Northampton são considerados os primeiros tribunais civis.

Sindicatos

1699
Newcastle

Mineiros

Organização dos trabalhadores para criarem seguros mútuos contra a doença, velhice e morte.

Escola obrigatória

1717
Prússia

Frederico-Guilherme I

Frederico faz aprovar um decreto que torna o ensino obrigatório.

Seguro-desemprego

1789
Suíça

Cidade de Bâlle

Ai nasceu o primeiro plano de seguro-desemprego, devido ás reações dos desempregados à sua situação.

Jardim da infância

1837
Blankenburg
Alemanha

Froebel

A finalidade dessa escola era permitir que a criança pudesse desenvolver-se de forma natural. Não havia preocupação de prepará-la para os estudos superiores.

Salário família

1918
França

Algumas Empresas

Consistia no emprego de uma parte do orça­mento num fundo, cujos benefícios revertiam em favor das famílias com crianças.

Seguro social

1935
EUA

F.D.Roosevelt

Os velhos, cegos e crianças foram os primeiros a se beneficiarem do sistema de seguro social instituído por Roosevelt.

 

 

 

 

publicado por antiego às 12:04
| Comentar (ou não) | Adicionar aos Posts Favoritos
|
14 comentários:
De Dolores a 31 de Outubro de 2009 às 12:21
A minha alma está parva.
Não com a importância do afecto, isso nunca me deixou dúvidas, nem se quer com a antiguidade de "casamentos/parcerias" entre pessoas mais ou menos evoluídas. Continua a ser tudo muito actual, embora com milénios de história.
A minha alma está parva com os sacerdotes.
Inventaram Igrejas; Escolas; Bibliotecas; Hospitais...
Será por terem uma ambição mais elevada que os comuns mortais? Pelo amor/afecto pelo próximo? Altruísmo?
Ou será antes pela necessidade de manipular o saber, a instrução e a ciência?

Acho que estou a ser demasiado afiada na crítica... Ou então a deixar-me levar pelas bem camufladas linhas orientadores da grande maioria das religiões.

Hoje estou muito anti.
De tou anónima, não me chamo helena a 31 de Outubro de 2009 às 13:02
Bom dia.
(esta resposta é para a Dolores)

Penso que ambas.
Em qualquer vertente profissional/civil/religiosa/politica encontras os que têm a motivação certa ou a errada.

Não sou religiosa, mas acredito piamente que para alguns com a motivação correcta, a preocupação pelo próximo o sacerdócio pudesse ser um chamamento na crença de que estariam numa boa posição de ajudar o próximo.

Depois existem também os outros, como em tudo. Normalmente esses são os que dão mais cartas, infelizmente, porque devido às motivações que têm são, normalmente os que alcançam mais poder.
De tou anónima, não me chamo helena a 31 de Outubro de 2009 às 13:03
Quero acreditar que essas invenções tenham vindo da motivação "boa". Que depois foram aproveitadas pela "má" é algo do conhecimento geral.
De antiego a 31 de Outubro de 2009 às 14:41
As invenções podem e muitas vezes têm um fim muito prático. Como pode ser o caso do casamento.
Estou a imagianr o homem troglodita a pensar:
- Eina, esta gaja é boa como o milho. Quero que seja só minha! Ah, vou inventar o casamento.
De antiego a 31 de Outubro de 2009 às 14:38
Imagino que na igreja haja de tudo. Pessoal que realmente serve o proximo e pessoal cujo principal objectivo é manipular o proximo. E também acredito nos estados mistos e contraditórios. Podemos ter o sentimenro nobre de ajudar o proximo a coexistir com a vontade de poder. Somos humanos.
De tou anónima, não me chamo helena a 31 de Outubro de 2009 às 13:07
Quanto ao post em si acho por demais óbvio, mesmo sem pesquisas de que o casamento como a religião o apresenta não pode ser mais do que uma invenção deles mesmos.
Aliás, para eles o casamento pelo registo, o legal, não é suficiente.
Pelo simples motivo que o associam à fé. Quem não tem a fé, tal como a apregoam, não pode casar.....ou seja, o amor não é suficiente.
De tou anónima, não me chamo helena a 31 de Outubro de 2009 às 13:15
Mais uma pesquisa....
"Porquê casar na Igreja?

Para os crentes católicos, o casamento não é uma simples formalidade civil. Pelo contrário, os noivos católicos crêem que o amor que os une é um "sinal" muito particular do próprio amor de Deus e sinal do amor com que Jesus Cristo ama a Igreja. "Sinal" é também um dos significados da palavra "Sacramento".

Reparem no pormenor do sinal do amor com que Jesus Cristo ama a igreja.

O casamento para esta malta não é simplesmente uma junção de dois seres que se amam, é também um testemunho do amor de Cristo pela "sua" igeja.
De antiego a 31 de Outubro de 2009 às 14:43
Servir a deus.
Bolas, nesse caso há muito homossexual religioso. A iregja só teria a lucrar senão fosse homofobica.
De tou anónima, não me chamo helena a 31 de Outubro de 2009 às 13:26
Já agora acrescento, para consulta, a opinião, bem argumentada de um homossexual.

http://portugalgay.pt/politica/portugalgay22.asp
De antiego a 31 de Outubro de 2009 às 14:52
Está um ponto de vista interessante.
Como diz a mibha gemea: bater na igreja é bater no ceguinho.
De Dolores a 31 de Outubro de 2009 às 15:57
O verdadeiro matrimónio é uma mistura particular de amor, amizade, consideração e sensualidade .
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

O verdadeiro matrimónio é uma mistura particular de amor, amizade, consideração e sensualidade . <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Maurois</A> <BR><BR>Ora bem, como não é possível viver em sociedade sem qualquer um destes elementos, e nós somos essencialmente animais sociais, acredito que o casamento surgiu numa tentativa de acabar com a solidão individual. Portanto, casamento é, na realidade uma relação de companheirismo. <BR><BR>O problema surgiu, logo a seguir, com as tentações... que assolam cada um e cada qual. <BR>Porque, segunda a teoria do MEC , o factor SPAC não tem olhos unidireccionais. <BR>Há aqueles que conseguem resistir mais e os outros que não o fazem, quer seja por incapacidade, quer seja por não terem vontade nenhuma de o fazer. <BR><BR>Enfim... É uma bela invenção que, tal como todas as outras tem limitações substanciais. <BR>Cabe-nos a nós aceitá-las ou alargá-las.
De antiego a 31 de Outubro de 2009 às 19:01
QUe é o factor SPEC?
De Dolores a 31 de Outubro de 2009 às 19:10
Segundo o Miguel Esteves Cardoso o factor SPAC influencia extraordinariamente os relacionamentos.
Saltar
Para
A
Cueca
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Segundo o Miguel Esteves Cardoso o factor SPAC influencia extraordinariamente os relacionamentos. <BR>Saltar <BR>Para <BR>A <BR>Cueca <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>lllllllllllllloooooooooolllllllllllllllllll</A> <BR><BR>O factor SPAC é uma das suas crónicas, pode ler-se no livro Os Meus Problemas. <BR>É do melhor.
De Dolores a 31 de Outubro de 2009 às 19:19
Não sei porquê mas isto acaba por ser publicado com "letrinhas" a mais.
Devo andar a fazer alguma operação ilícita.
Desculpem.
rsrsrsrsrs

Comentar post

Contador Web
Contadores
online

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds