"Espicaçar as consciências adormecidas"

.posts recentes

. Evolução Árabe

. Herói Moral D. Pedro

. Egas moniz

. O melhor Português

.arquivos

. Maio 2018

. Março 2017

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Domingo, 16 de Outubro de 2011

Evolução Árabe

Para que se perceba que os árabes mulçumanos fizeram alguns avanços civilizacionais desde então, calculando eu que agora só estejam atrasados uns mil anos, contra uns dois mil daquela época.

 

Antes morrem que confessar o que determinaram calar. E as mulheres de Goa são jeitosas no vestir, as quedançam e volteiam o fazem com melhor maneira que todas as destas partes. (…) E costuma-se grandemente neste reino de Goa, toda mulher de gentio queimar-se por morte de seu marido. Entre si têm todos isto em apreço e os parentes dela ficam desonrados quando se não querem queimar e eles com admoestações as fazem queimar. As que de má mente recebem o sacrifício e as que de todo ponto não se queimam ficam públicas fornicárias e ganham para as despesas e fábricas dos templos donde são freguesas”.

 

Relato de quando Portugal tomou Goa, quando esta era dominada por árabes, cerca do ano 1510.

 

tags:
Sexta-feira, 5 de Agosto de 2011

Herói Moral D. Pedro

         O Homem que declarou a independência do Brasil, tornando-se no seu imperador D. Pedro I e, mais tarde, D. Pedro IV de Portugal tendo doado o seu coração á cidade do Porto, bem que pode ser considerado um Herói moral, até porque o foi considerado na época. Um verdadeiro Homem de gandes causas e que qualquer causa o queria como seu Homem, pelos vistos.
         É das personagens mais fascinantes da história portuguesa, porque a uma alma bondosa, desprendida e idealista (embora terrivelmente impetuosa), se alia um vivacidade invejável pelo próprio Eros. Se Eros vivesse apenas 36 anos, teria encarnado nesta vida. Os seus feitos e legado são colossais.
         Como bondade, vivacidade e poder podem conviver no mesmo homem que não se interessou por ser um dos homems mais poderosos do mundo, tendo recusado as coroas de Espanha e Grécia e tendo abdicado das coroas brasileira e Portuguesa.

         Os relatos sobre ele chegam a inspirar ternura, ficando-nos a ideia de que, afinal, o homem caprichoso só queria ser amado (e não ser o todo-o-poderoso): "Não era o desejo de D. Pedro I imperar como um déspota, pois "sua ambição era ser guardado pelo amor de seu povo e pela fidelidade das suas tropas e não impor sua tirania".


         Transcrito da internet:

         <<Em 1826, os liberais espanhóis ofereceram a coroa de seu país a D. Pedro, a quem consideravam um "bem-feitor dos Povos" e muito "digno".>>

         <<Mas, como todas as naturezas espontâneas, tinha um fundo de grande bondade. Herdou do velho Rei seu pai a liberalidade […]. Tinha, da mãe, sobretudo, a impetuosidade. Foi essa impetuosidade, aliada ao seu estabanado cavalheirismo, que o levou a libertar dois povos.
            Um punhado, largo, de boas qualidades: bravura, honestidade, desprendimento pessoal, idealismo. E um acentuado desejo de bem fazer – o que o não impedia de ser, muita vez, injusto e agressivo até com os seus melhores amigos.>>

          "O príncipe era extremamente simples, e enquanto a sociedade da época como um todo considerava qualquer forma de trabalho manual algo relegado somente a escravos, D. Pedro não se importava em trabalhar com as próprias mãos.[8] Fazia questão de manter uma relação direta com o povo, e sentia prazer em estar entre gente comum.
          D. Pedro I não acreditava em diferenças raciais e muito menos em uma presumível inferioridade do negro como era comum à época e perduraria até o final da II Guerra Mundial. O Imperador deixara clara a sua opinião sobre o tema: "Eu sei que o meu sangue é da mesma cor que o dos negros".[14] Era também completamente contrário a escravidão e pretendia debater com os deputados da Assembleia Constituinte uma forma de extinguí-la."

         São estes heróis morais que deviamos dar a conhecer aos nossos filhos, como este que tinha "um acentuado desejo de bem fazer"
         Veja com os seus próprios olhos o Coração de D. Pedro.

publicado por antiego às 17:24
| Comentar (ou não) | Adicionar aos Posts Favoritos
Domingo, 16 de Setembro de 2007

Egas moniz

Sempre achei estranho, e muito confuso, o Egas moniz ter sido o aio do D. Afonso Henriques e prémio nobel da medecina.

 

Ou seja, não só ajudou a fundar Portugal, como ajudou muitos portugueses a recomendarem a outros, uma boa lobotomia.

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Egas_Moniz

 

Terça-feira, 24 de Abril de 2007

O melhor Português

Afonso Henriques era o favorito a melhor português. O grande azar é que o programa em sua defesa foi, provavelmente, apresentado pela pior apresentadora portuguesa.

 

Voz monocórdica, sem sangue, sem paixão, sem voz. A figura não ajuda, mais parece um travesti.

 

Para a história, Portugal nasceu em 1143. Mas o pápa só reconheceu Portugal muitos anos depois. A apresentadora explicava a multiplicadade destas datas tendo como cenário de fundo Lisboa. Acabou por concluir e determinar, que Portugal, na realidade, nasceu quando o nosso rei conquistou Lisboa (1147)… original este conceito.

 

Já com a praça Martim Moniz de fundo, falando sobre a conquista de Lisboa, de repente entra-se no metro de Martim Moniz. A ideia foi dita e bem passada: Martim Moniz até estação de metro é hoje. E de repente, passa 5 minutos a falar da história de Martim Moniz.

 

A partir daí a frase mais repetida (inúmeros vezes) foi: “Os improváveis portugueses”. O improvável Portugal.

 

Ora foda-se, se há país provável, esse país foi Portugal. E porquê? Precisamente por causa do rei de que esta coitada falava. O apaixonante na biografia de Afonso Henriques é que ele viveu toda a sua vida com uma mortal obstinação: criar um país independente. O jovem foi criado, educado, com a ideia de fazer o condado Portucalense independente. E deu a sua vida por isso, só terminou a carreira quando se lesionou irremediávelmente. O maior periodo de paz do seu reino, foram três anos. Não só conquistou a independência como vivia obcecado em alargar o território.

 

A história não é feita de acasos, e de guerras que definem fronteiras e culturas. A história é feita por homens apaixonados até à loucura.

 

Tomara Bascos, Galegos e Catalães terem tido um Afonsinho.

 

--  x --

 

Pese embora a minha grande admiração por este rei apaixonado, eu elegeria Arestides de Sousa Mendes. Um homem que salva a vida a milhares de pessoas, só é ultrapassável por quem salva mais vidas.

 

Qual foi o espanto de Salazar ter sido o mais votado quando a votação foi feita por SMS com custo de valor acrescentado? De que estavam à espera? E quem haveria de ficar em segundo lugar? Um comunista. Nada mais provável. Os de extrema direita parecem ter mais dinheiro que os de extrema esquerda.

 

Os melhores portugueses são os que não dizem mal dos portugueses e de Portugal.

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds