"Espicaçar as consciências adormecidas"

.posts recentes

. Eles Pensavam

. Cidadania no Secundário, ...

. Spam Posts nos blogs do s...

.arquivos

. Maio 2018

. Março 2017

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Terça-feira, 15 de Março de 2011

Eles Pensavam

            Já aqui falei dos pedantes do “Não” e “Depende”. Hoje vou falar dos arrogantes do “Pensa! Pensa!”.

            No fim dos anos 90 havia a moda, de certos iluminados virarem-se para pessoas de QI inferior, e iradamente rogarem-lhes que pensassem um bocado.

 

            Geralmente estes iluminados eram pessoas hiper-activas, com a cabeça a cem à hora, uns poços sem fundo de ideias visionárias de como salvar o país e o mundo das malhas da imbecilidade.

            Só havia uma coisa que lhes escapava: o défice de atenção cognitivo que acompanha as crianças hiper-activas. Deste modo, tinham dificuldade em parar quietos e acabar o que começavam, e tinham dificuldades em aprender novos conhecimentos que estavam para lá da sua esfera autista.

 

            Eram os grandes Chico-espertos da vida. Eles é que sabiam, eles é que sabiam viver e… principalmente, e esta era a chave - eles pensavam.

 

            Mas por estranho que pareça, tudo o que eles pensavam já tinha sido pensado, dito e publicado, vezes sem conta. Ou seja, a sua sabedoria era constituída por enormes clichés. E eles convencidos que eram os autores desses esquemas mentais geniais. Tudo era bastante fácil. Se calhar tanta facilidade era desmotivadora.

 

            O “Pensa! Pensa” vive a duas dimensões, e ao encontrar-se com um “Num Sei…” que vive a 3 dimensões, a conversa poderia ser mais ou menos esta:

- Fosga-se pá! Não vês que isto é um segmento de recta! Pensa, Pensa! É uma coisa que tem um começo, um fim e parece uma linha. É só pensar.

- Hmmmm, num sei, é uma linha….

- Não é só uma linha! Blá blá blá…

- Ui, num sei, estava capaz de jurar que era um círculo.

- Um quê! O que é isso, um circulo diz ele, AH AH AH AH AH.

Quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Cidadania no Secundário, como Disciplina

Tenho um colega Holandês que é professor de Cidadania no seu país, no ensino secundário.

Será que temos algo parecido cá em Portugal, fora a triste disciplina de “Religião e Moral”, opcional, da escola preparatória?

 

Eu acho que é essencial existir uma cadeira que eduque realmente e forme as pessoas. Mais importante que ter um filho a saber ler e fazer contas, é ter um filho consciente, com valores, que saiba viver.

 

Isto não é um ensino que se deva deixar só à responsabilidade dos pais. Como diz a minha mulher, gostava que os nossos filhos frequentassem a Catequese, mais para eles verificarem que valores que ela prega, também são defendidos por outros.

Não é por eu dar uns chutos na bola com o meu filho que ele não precisa de jogar mais à bola.

O ensino de Cidadania da escola iria complementar a minha educação e/ou reforça-la. Casos haveriam que seria o meu filho a ensinar-me com o que bebeu na escola. As crianças têm que ser confrontadas com outras ideias, de pessoas adultas e formadas, que não as dos pais.

 

Esta disciplina teria que ser atractiva. Um espaço sobretudo de diálogo e descontracção (não demasiada). Ver uns vídeos, ver um filme, ler uns jornais, umas revistas, debater o material mostrado. Debater assuntos actuais como o Bullying, que fazer face à crise, violência doméstica. Ensinar coisas práticas para a vida. Ensinar leis, direitos, deveres, saúde, economia doméstica, culturas, pontos de vista, aforismos, sugestões para o lazer, jogos sociais.

Espaço para a partilha de histórias dos alunos. Deveria ser uma aula muito lúdica também, à qual os alunos gostassem de ir.

 

Nesta disciplina teria que haver classificações também. Seria a bandalheira senão houvessem exames. Que tipo de exames? Por exemplo, com factos históricos ou de cultura geral. Poderiam leccionar-se, por exemplo, história de filantropos e daqueles que mereceram o Nobel da Paz.

Exame tosco de cidadania:

  1. Em que ano nasceu Portugal?
  2. Que país atribui os prémios Nobel?
  3. Qual a velocidade máxima a que devem circular os carros nas cidades?
  4. Quem foi Aristides de Sousa Mendes?
  5. Quais as diferenças entre Judaísmo, Cristianismo e Islamismo?

 

Que me interessa a mim o meu filho tirar 5 a matemática, português e educação visual se for uma perfeita besta?

- O meu filho pode ser uma grande besta que só se interessa por si e pelas suas coisas, mas foi prémio Nobel da Física e não sabe o que há-de fazer ao dinheiro.

Quinta-feira, 13 de Março de 2008

Spam Posts nos blogs do sapo

            Estas foram as sugestões que enviei aos reguladores dos blogs da sapo:

1. Há uma falsidade irritante que se passa nos blogs do sapo. Os bloguistas escolhem tags que nada têm a ver com o Post. Isso tira lugar aos posts que realmente têm a ver com a tag. Para combater isto pode-se, simplesmente, limitar as tags a 3, por exemplo. O bloguista terá que escolher as 3 melhores tags associadas ao seu post. Ou, ainda mais simples, limitar o campo das tags a 25 caracteres (pe).

            Assim evita-se que os bloguistas ponham as tags mais referenciadas de modo a aparecerem nas listas. Eu próprio já fiz isto, várias vezes. Se o sistema o permite…

            Um controlo mais avançado seria monotirizar estes abusos

           

2. É do interesse dos utlizadores que toda a informação bloguista indesejável, seja filtrada.

            Como devem ter reparado, existem vários "Spam Posts". Sâo bastantes posts repetidos, são blogs exclusivamente de índole sexual ou pornográfica (a não ser que achem isto aceitável), blogs de publicidade, etc.

            Neste caso, seria muito útil haver uma fiscalização (não exaustiva, claro). Se possivel banir os blogs com conteúdos inaceitáveis. Notificar sobre Posts repetidos e posts impróprios, de algum modo. Em caso de reincidência, avisar sobre as faltas, até à exclusão.

.tags

. todas as tags

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.subscrever feeds